No Estado brasileiro, a família tem uma data especial para ser celebrada e valorizada. O Dia Nacional da Família, em 8 de dezembro, foi instituído em 1963 por um decreto do então presidente João Goulart.

É interessante observar o que diz o texto do documento: “Nas sociedades perfeitamente organizadas e independentes de ideologia, sistema político, organização social ou credo religioso, continua sendo a família o elo fundamental das mesmas”. Uma verdade que permanece absoluta, apesar de tantas transformações sociais e desafios que afetam diretamente o seio familiar.

O ambiente doméstico é, por excelência, o lugar de transmissão de valores, tradições familiares, catequese e de fé. Nele, aprendem-se os costumes e a cultura de um país, cidade ou civilização; é onde também absorvemos as visões e os conceitos sobre o mundo. Na atualidade, entretanto, novos costumes e valores têm comprometido esse núcleo essencial da sociedade, indo contra, até mesmo, à tradição cristã.

Na carta às famílias em 1994, São João Paulo II – considerado o Papa das famílias – afirma que “a experiência demonstra como o papel de uma família coerente com a norma moral é importante para o homem, que nela nasce e se forma, ingressar sem hesitações pela estrada do bem, inscrito sempre no seu coração”. Bons cidadãos e bons cristãos: este deve ser o intuito da educação e da formação das famílias.

Um dos nomes mais expressivos nessa formação cristã, catequética e também cidadã é Pe. Zezinho, scj. Ele mesmo não se enxerga simplesmente como um cantor, compositor ou escritor, mas também como um catequista. Na continuidade desta missão, o maior compositor da música católica no Brasil e um dos pioneiros da evangelização por meio da canção tem agora mais um espaço de proximidade e diálogo com as famílias, com a série Catequese em Família.

Com uma linguagem didática e objetiva, o sacerdote aborda situações concretas do cotidiano dos casais e filhos. As inspirações desta primeira temporada partem do livro Amores que deram certo e dedicam-se ao suave e difícil verbo “amar”.

Os casais e filhos, certamente, irão se identificar com os diversos temas tratados, fortalecer os laços familiares e encontrar respostas para a alegre mas desafiadora arte de amar:

-       os acertos e os desacertos dos relacionamentos interpessoais;

-       sonhos de felicidade que se tornaram realidade e/ou aqueles que a decepção ou outros desejos levaram ao desenlace;

-       necessidade de misericórdia e perdão, pois, para um amor dar certo, é preciso haver aprendizado, ajustes e concessões, além de abraços, beijos e admiração;

-       a importância da oração em família;

-       situações de separação e orientações da Igreja;

-       falta de diálogo;

-       a renúncia de si em prol do outro;

-       as três palavras necessárias na família, segundo o papa Francisco: “Com licença, obrigado e desculpe”.

E se estamos falando de família, recordamos de aconchego, lar, comunhão e partilha. Então, entre nesta casa de música e catequese com Pe. Zezinho, scj! Sempre um novo episódio às terças e quintas-feiras nos seguintes locais:

-       Canal do Padre Zezinho, scj, no YouTube;

-       Paulinas Web Rádio (escute pelo site ou aplicativo)


Por Gracielle Reis


Livro Amores que deram certo: http://bit.ly/AmoresQueDeramCertoPZ

Web Rádio: http://webradio.paulinas.com.br/

Playlist da série Catequese em Família com Padre Zezinho, scj: