O milenar Teatro de Sombras chinês

Muitas histórias de amor resultaram em homenagens lindas, que perduram até os dias atuais. O Taj Mahal, na Índia, uma das maravilhas do mundo moderno, foi construído por um imperador para ser o mausoléu de sua amada esposa, falecida. Reza a lenda que o Teatro de Sombras, uma das grandes manifestações artísticas da humanidade, foi criado por uma imposição do imperador chinês Wu´Ti, que queria ter sua melhor bailarina (por quem era apaixonado) de volta.

Essa lenda, que também envolve um mago, é contada em forma de poesia, com um ritmo cadenciado, como no cordel, no livro “A lenda do Teatro de Sombras”, de Marco Haurélio e Fernando Vilela.

O Teatro de Sombras, de tão bonito, começou a fazer sucesso e tornou-se famoso em todo o sudoeste asiático, indo para países como Camboja, Vietnã e Indonésia. Posteriormente, chegou até mesmo à Europa, passando pela Turquia, Grécia e França.

Mais um exemplo de que o amor, aliado à arte, produz coisas que duram milênios e encantam gerações.