Análise poética da sociedade

Um estudo de Jó 24
Disponível
Editora: PAULINAS
Autor(es): Matthias Grenzer
Coleção: Exegese
Código: 508640

calcular frete

Não sabe seu CEP? Então clique aqui.
loader
Nome Prazo de entrega Valor
COMPARTILHAR

Ficha técnica

Código de barras:
9788535616644
Peso:
120
Dimensões:
14.00cm x 0.00cm x 21.00cm
Código:
508640
Idioma:
PORTUGUES
Número de páginas:
96
Edição:
1
Data de Lançamento:
15/12/2005

Detalhes

A obra, Análise poética da sociedade, faz parte da Coleção Exegese, que apresenta estudos nacionais que se propõe a interpretar um determinado trecho bíblico de forma pormenorizada, sob o rigor do método exegético. Em vista de atender os leitores menos familiarizados com as línguas originais da Bíblia, todas as citações são traduzidas e há grande número de notas explicativas. Trata-se de uma fonte de pesquisa e conhecimento para todas as pessoas interessadas em aprofundar os estudos bíblicos. A originalidade da obra se prende ao rigoroso método exegético praticado pelo autor, que fica constantemente colado ao texto e o explora de acordo com os mais aperfeiçoados instrumentos da análise literária. Dessa forma o capítulo 24 de Jó adquire um alcance insuspeitado. Torna-se expressão da maneira como a pobreza, fruto da injustiça social, é vista e interpretada à luz de Deus, como o sofrimento de Jó, qual situação de profunda significação religiosa. Constitui assim uma confirmação importante da continuidade entre o judaísmo e o cristianismo, que se posicionam igualmente, em nome de Deus, contra a opressão que caracteriza a sociedade, tanto de ontem como de hoje. A obra, publicada simultaneamente no Brasil e na Alemanha, adquire um valor especial para nós, como observa o autor em nota no fim do volume: "Para o leitor da Bíblia no Brasil, a descrição da sociedade por Jó contém uma atualidade surpreendente. Continua sendo verdade que a violência política, econômica e até física leva muitas pessoas e famílias à perda de suas posses e, com isso, à perda de sua liberdade. Fome, sede, nudez, uma predisposição maior para a violência e a morte prematura dos mais necessitados, são ainda as conseqüências diretas dos crimes promovidos pelo grupo das pessoas dominantes".