Eros e psique

Passagem pelos portais da metamorfose
Disponível
Editora: PAULINAS
Autor(es): Lúcia Pimentel Góes
Coleção: Re-significando linguagens
Código: 509841
R$ 43.8
ou em até 2x de R$ 21.90 sem juros

calcular frete

Não sabe seu CEP? Então clique aqui.
loader
Nome Prazo de entrega Valor
COMPARTILHAR

Ficha técnica

Código de barras:
9788535618969
Peso:
360
Dimensões:
15.50cm x 0.00cm x 23.00cm
Código:
509841
Idioma:
PORTUGUES
Número de páginas:
248
Edição:
1
Data de Lançamento:
26/03/2007

Detalhes

Eros e Psique: passagem pelos portais da metamorfose é resultado das pesquisas feitas pela autora em seu Pós-Doutoramento em Semiótica e Comunicação pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUC-SP) sob a tutoria da Profa Dra Maria Lúcia Santaella Braga. Trata-se de uma abordagem moderna do antigo mito de Eros e Psique, analisado e confrontado com obras posteriores, de diferentes origens e gêneros literários, mas com as quais possui alguma relação. O embasamento para tal propósito está nos pressupostos de teóricos como Bakhtin, Peirce, Greimas, Kristeva, Barthes, entre outros, acerca de questões concernentes a semiótica, oralidade, intertextualidade, informática mitologia e teorias do discurso, da narrativa e da poesia.

Dividido em seis capítulos, Eros e Psique aborda no Capítulo 1 a cultura e as formas simples, nascidas dos primeiros gestos verbais da humanidade - lendas, contos, mitos - cujo núcleo é sempre um acontecimento, um fato real. No Capítulo 2, apresenta o confronto das formas simples e suas derivações, no tempo e no espaço, dividido em: narrativas de tradição oral; das formas simples para as eruditas; formas de tempo e de cronotopo no romance; migração das formas: paráfrase, paródia e suas variantes; temporalidade e espacialidade; e a literatura da Idade Média, na qual há atuação do meio social.

Na seqüência, são tratadas as formas em resgate (origens, migração e miscigenação) e apresentada uma análise de relatos, que inclui obras de autores do porte de Apuleio, Almeida Garrett, Domingos Olympio e Guimarães Rosa. O Capítulo 4 é dedicado à passagem do mito ao ciclo dos contos de fadas do noivo(a) animal, que tem em A Bela e a Fera a estórias mais conhecida. Também são citadas as estórias de O Príncipe Sapo e O Príncipe Lagartão.

O Capítulo 5 traz uma análise de relatos do mito ao conto, citando Theophilo Braga e Luís da Câmara Cascudo. Encerra o trabalho o Capítulo 6 que vai do mito aos poemas, com análise de um poema de Fernando Pessoa. A obra conta ainda com uma significativa iconografia e uma vasta e moderna bibliografia que oferecem aos leitores a possibilidade de ampliar conhecimentos e aprofundarem-se no assunto.