Voo da fé (O)

O milagre no Rio Hudson
Disponível
Editora: PAULINAS
Autor(es): Frederick Berretta
Coleção: Superação
Código: 523844

calcular frete

Não sabe seu CEP? Então clique aqui.
loader
Nome Prazo de entrega Valor
COMPARTILHAR

Ficha técnica

Código de barras:
9788535635171
Peso:
250
Dimensões:
13.50cm x 0.00cm x 20.00cm
Código:
523844
Idioma:
PORTUGUES
Número de páginas:
200
Edição:
1
Data de Lançamento:
04/06/2013

Detalhes

Frederick Berretta, um dos sobreviventes do voo 1549 da U.S. Airways, que fez um pouso de emergência no Rio Hudson, em Nova York, em 15 de janeiro 2009, narra essa experiência marcante, intercalando-a com o relato de sua vida e destacando os momentos em que se viu diante de situações difíceis. De família católica, Berretta afastou-se da religião durante a adolescência e abandonou-a de vez na juventude, ao entrar na faculdade. Conta que chegou, em diversas circunstâncias, a sentir-se "zangado" com Deus, por conta de acidentes, perdas e outros acontecimentos tristes ou frustrantes vivenciados por ele ou por entes queridos. No entanto, ele sentia algo dentro de si que o impulsionava para Deus. Anos depois de reencontrar-se com a religião, quando achava que a vivia de modo satisfatório, já que participava da missa, rezava e meditava a Palavra de Deus, nos minutos que antecederam o impacto do Airbus com as águas do rio, percebeu que até ali não fora mais do que uma criança em termos de fé. Naquele momento, uma importante questão colocou-se diante dele: estava disposto a encarar a realidade de que não tinha qualquer controle sobre sua vida e aceitar a vontade de Deus, ainda que isso significasse morrer? O fato de o piloto ter conseguido pousar com relativa segurança sobre o rio, permitindo que todos os 155 passageiros fossem resgatados com vida, foi considerado por espectadores do mundo inteiro, mas principalmente para quem estava dentro da aeronave, um verdadeiro milagre. Mas por que eles? Desde o choque com as aves, que levou à perda dos dois motores de uma só vez, até a prontidão das equipes de salvamento, passando pelo pouso rigorosamente calculado e os procedimentos ordenados de evacuação, tudo parecia inusitado demais e, portanto, além da compreensão humana. Para o autor, não se tratou apenas de sorte, mas da manifestação da Providência Divina, que, combinada com o trabalho humano, permitiu o desfecho feliz e o bem que dele derivou - no caso de Berretta, a descoberta do grande poder de Deus para salvar e proteger aqueles que recorrem a Ele com um coração contrito e amor sincero.

VEJA TAMBÉM